Sea of Thieves

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

“O que dizer sobre esse jogo, que mal conheço e já considero pacas!”
Usuário do Orkut em um testimonial para Sea of Thieves.

E é nesse espírito nostálgico que inicia-se esse Critical Hits.

Sea of Thieves é um jogo desenvolvido pela Rare em 2018 e em desenvolvimento constante, para Xbox One e Windows e publicado pela Microsoft Game Studios. Trata-se de um jogo em primeira pessoa, mundo aberto, cooperativo, ao mesmo tempo competitivo, ambos online. O jogo todo é ambientado em um mundo de piratas, com barcos e navios movidos a remo e vela, respectivamente. Para quem a princípio imagina uma experiência parecida com as presentes nos jogos da franquia Assassins Creed, esqueça, pois não tem praticamente nada, que seja similar, no aspecto de jogabilidade.

Neste texto, sempre será ressaltado o que é conteúdo adicionado em atualizações, pois uma das grandes falácias que se ouve sobre o jogo é que ele não tinha conteúdo no lançamento, o que de fato não é verdade. Claro que as atualizações já ultrapassaram em conteúdo que o jogo base possuía, porém é falso que o jogo original veio sem conteúdo, visto que no day one já existia o desafio do pirata lendário (título obtido após alcançar reputação nível 50 nas três companhias iniciais, Acumuladores de Ouro, Aliança Mercante e Ordem das Almas).

A primeira experiência para a maior parte das pessoas que inciavam o jogo, costumava não ser a melhor. Após a customização aleatória de um personagem e escolha de um navio, você era jogado num bar pirata, onde não havia nenhuma explicação, do que fazer, de onde ir, com quem conversar, entre outras necessidades básicas para iniciar um jogo novo. Nos menus de itens, podia se verificar ferramentas e equipamentos, porém nenhum guia para o que fazer com cada um. Tal dificuldade afastou muitas pessoas em seu lançamento, o que na ocasião, gerou até certo desconforto na comunidade que tentou jogá-lo. O texto se manteve no pretérito, pois este “problema” foi minimizado, considerando que nos updates recentes foi adicionado um mini tutorial para novos players. “Assumo que fiquei um pouco frustrado pela criação do tutorial, pois tem formados piratas menos determinados, ou não” sic. Brincadeiras a parte, o tutorial foi um bom acréscimo ao jogo que sempre recebe conteúdo novo, pois facilitou e ampliou a base de jogadores e fãns.

Hoje o jogo conta com dois modos principais de jogo, sendo eles Aventura e Arena. O modo Arena que foi adicionado posterior ao lançamento do jogo, consiste basicamente em guerra de navios. O texto será focado somente no modo Aventura, que é onde a maior parte do jogo acontece.

Jogabilidade/Gameplay

Logo no começo, para que inicie sua aventura, precisa escolher um navio. Para isso existem 3 opções, Galeão, Bergantim (adicionado em atualização) e Chalupa (antigamente nomeada Corveta), para 4, 3 e 2 jogadores respectivamente. Se estiver iniciando o jogo sozinho, poderá escolher para que o navio seja preenchido por outro player online, ou não. Assim que termina o longo loading inicial (defeito dos jogos de mundo aberto) você aparece em um taverna pirata. Cabe um destaque que a cada início o jogador nasce em uma ilha de Posto Avançado (antigos Outposts) aleatória do mapa.

Atualmente estão a sua disposição na roda de itens, bússola, balde, lanterna, pá, luneta, mega fone, instrumentos musicais, vara de pescar (adicionado em atualizações), caneca e relógio. A primeira coisa a se fazer, é pilhar baús, caixas e barris, em busca de suprimentos para o navio. Por padrão o navio já contém um pouco de suprimentos, porém insuficientes para as jornadas mais curtas. Dentre os suprimentos a serem pilhados são tábuas, bolas de canhão e bananas. Nas atualizações foi disponibilizado também como suprimento, bolas de canhão com efeitos diversos, bolas de fogo, bolas explosivas, outros tipos de frutas como abacaxi, coco, manga e romã, iscas para pescas, peixes pescados e por fim, carne de animais abatidos como frango, porco e cobras. Após encher seu navio de suprimentos, estais livre para fazer o que quiser! Mas o que fazer? É a pergunta a ser feita, nas primeiras jogatinas, pois o jogo não dispõem de um HUD guiando até onde ir, não possui um mapa que pode ser acessado no menu com pontos de interesse, tampouco tem setas ou marcadores luminosos indicando o caminho. As opções de jornadas, atualmente disponíveis, são inúmeras.

Jornadas

Iniciando pelas clássicas temos as jornadas das companhias Acumuladores de Ouro, Aliança Mercante e Ordem das Almas. Para iniciar qualquer jornada das companhias citadas, o player tem que procurar o NPC que fornece as missões.

Acumuladores de Ouro normalmente é o NPC que fica em uma barraca com sacos de ouro. As missões dos Acumuladores de Ouro consiste em caçar baus para venda. Para tal caça o jogador poderá receber mapas marcados com um X ou enigmas que constam em uma ilha. Para os mapas com o X, deverá procurar no mapa do mundo, presente no navio, a ilha com o desenho similar ao que o jogador possui, para navegar até a mesma e descobrir onde cavar. Os enigmas tem desafios diversos, como tocar músicas em posições específicas da ilha, iluminar algum local, contar passos através de direções cardeais, entre outros desafios.

Aliança Mecante normalmente é o NPC que fica no pier onde o Navio vem atracado. As missões da Aliança Mercante consiste em pegar produtos e animais para venda. Para pegar os animais, tem que achar gaiolas próprias para cada animal, em ilhas do jogo. Os produtos podem ser barris explosivos, caixas de frutas, joias de sereias e caixas de materiais frágeis ou raros.

Ordem das Almas normalmente é o NPC que fica em um porão de casa, com umas lanternas acesas penduradas. As missões da Ordem das Almas consiste em caçar esqueletos em ilhas marcadas, até que se derrote o chefe, e pegue o sua caveira para vender.

Após alcançar a reputação nível 50 nessas 3 companhias fica disponível o modo Pirata Lendário, uma área secreta que está nas tavernas dos postos avançados, e contam com cosméticos e missões exclusivas.

Posteriormente foram adicionado mais jornadas são elas Grandes Lorotas (missões mais desafiadores que contam uma história do jogo), Os Xexelentos, Ossos do Ceifador, Hunter’s Call (venda de peixes pescados), Lobos do Mar (missões relacionadas a Arena) e Athena’s Fortune.

Além das jornadas supramencionadas, o jogador pode simplesmente zarpar, em busca de fortes que estejam ativos, sinalizados com uma nuvem em forma de caveira sobre a ilha do forte; destruir os navios fantasmas, sinalizado com uma nuvem em forma de navio sobre a região que se encontra o desafio (conteúdo adicionado em atualizações); caçar megalodons de diversas cores (conteúdo adicionado em atualizações), procurar jogadores para formar uma aliança ou simplesmente para tretar, no melhor e o no pior sentido da palavra; forte dos ferrados, explicarei melhor essa jornada abaixo (conteúdo adicionado em atualizações) e por fim, até onde lembro, visitar ilhas em busca de tesouros aleatórios.

Todas as jornadas citadas no parágrafo acima, dão maiores e diversificadas recompensas. Por exemplo, ao concluir um forte, o jogador encontrará uma sala com baus, caveiras, barris de pólvora, joias de sereia, entre outras possibilidades.

Um parentese aqui para as sereias que são encontradas nas ilhas. São estátuas de pedra que ficam embaixo da água com uma joia no peito. Essa joia podem ser safira, esmeralda e rubi, nessa ordem de dificuldade. Para pegar as joias, o jogador tem que dar golpes de espada e/ou tiros repetidamente até que quebre, porém ao chegar perto da sereia o jogador toma dano (perde vida). Então quanto maior o número de players destruindo mais rápido e mais chance tem de destruí-la.

Forte dos Ferrados

Para fazer a jornada do forte dos ferrados, algum jogador na party, tem que comprar a missão na taverna com o Duke, para localizar a caveira (chave) que inicia o forte. Porém antes de ir para o forte e iniciá-lo necessita recolher 6 cores de lanterna diferentes, para acender as estátuas de cada cor no forte. Cada cor é pega no navio das almas, navio onde ficamos quando morremos até voltar para o jogo, na fogueira central do mesmo. As cores e suas respectivas formas de conseguir são: Azul (morte por tubarões), Roxa (morte por envenenamento de cobra ou kraken), Vermelha (morte por fogo ou barril de pólvora), Rosa (morte por outro player), Branca (morte por raio) e por fim Verde (morre para um esqueleto). Ao recolher todas as cores, vá para ilha acenda as estátuas com sua respectiva cor e coloque a caveira. No momento em que iniciar, uma nuvem com uma caveira vermelha ficará no céu contando para todos os jogadores do servidor, que o forte dos ferrados está ativo (altamente recomendado alguém ficar no barco, para prevenir de roubo de outros players ou que os mesmos afunde seu navio). Os esqueletos que irão aparecer, cada uma possuirá uma cor e estarão intangíveis. Para os atingir levante a lanterna com a cor do esqueleto e ai sim poderá derrotá-los. Após hordas e mais hordas, aparecerá o chefe final. Após derrotá-lo cairá uma chave para abertura do depósito. No depósito estará as recompensas de mais alto nível do jogo e maior valor, portanto será altamente cobiçado por outros jogadores e o kraken. “Desejo sorte aos que se aventurarem”.

Ao fim de toda e qualquer jornada, os espólios, se vendidos, reverterão em ouro e/ou dobrões. Ambas as moedas, servem para comprar missões e itens cosméticos. Todos os equipamentos do jogo são apenas cosméticos. Assim como em outros jogos multiplayers, as armas tem o mesmo poder para todos os jogadores, as roupas fornecem a mesma proteção e as ferramentas a mesma produtividades. Em resumo, o jogo premia o jogador com cosméticos dos mais variados tipos e cores. Ponto esse que foi motivo de críticas por parte de alguns jogadores, assim como alguns meios de comunicação, que definiu que o jogo se resumia na busca e compra por cosméticos. Mas nesse momento façamos uma reflexão. Em Player Unknown Battlegrounds todo battle pass se resume em cosméticos para os itens do jogo, assim como no Apex Legends, assim como no Call of Duty Warzone e não é comum ver players reclamando disso, muito pelo contrário, compram os battle passes de cada jogo, sendo que já compraram o jogo e não existe uma crítica a isso, cabe aqui inúmeros jogos que repetem o mesmo modelo de venda de passes e busca por itens cosméticos. Então conclui-se que Sea of Thieves é um jogo de ação e aventura online e não um RPG. A progressão no jogo busca novos títulos e cosméticos mais elaborados e isso nem de longe é um ponto negativo.

Entende-se que esse detalhamento feito até o momento, se distancia de uma review e quase parte para um tutorial, porém é válido fazer o breve apanhado de algumas mecânicas do jogo, pois o intuito é passar o entusiasmo que se sente ao jogar esse jogo. Outras mecânicas e modos do jogo também possuem alto grau de diversão, porém para não tornar um texto tutorial segue-se para os outros aspectos.

Sonorização

Uma das mais marcantes características do jogo é o que tange sonorização, composta por sons e trilhas. O jogo dispões de composições próprias e terceiras, todas no estilo de aventuras piratas épicas ou fantásticas ou fictícias, como preferir.

Nos instrumentos disponibilizados para cada jogador, assim que iniciado a utilização de qualquer um, será executado uma música. Se outro marujo se juntar, com o mesmo instrumento ou outro, será feito uma harmonia entre esses instrumentos com a mesma música. Assim que todos param sua utilização e iniciam novamente trocará outra música. São 4 instrumentos diferentes disponíveis atualmente, sendo eles: Hurdy-Gurdy (no Brasil se chama Sanfona, mas não tem nada a ver com o acordeon), Tambor, Concertina e por fim adicionado em uma atualizações o Banjo. Dentre as músicas que podem ser tocadas pelos jogadores destaca-se uma versão reduzida de Ride of the Valkyries, podendo ter várias versões, com cada instrumento sendo o principal, juntando as harmonias em sequência, tem-se diversas combinações para a mesma música. Logo, quem tem certa familiaridade com música, poderá perder um tempo com os amigos fazendo diferentes versões da mesma música.

Além das músicas disponíveis para serem executadas pelos jogadores, o jogo conta com uma boa trilha sonora, que aparece em determinados momentos no jogo. Quando um chefe aparece, quando o megalodon aparece, quando entramos em uma batalha com outros jogadores, para cada momento uma trilha que trazem cor para o jogo.

Além da trilha sonora já citada, destaca-se os sons do jogo, que também possuem um bom design de áudio. Uma menção em especial aos sons do mar, que se bem observados/ouvidos ambientam adequadamente o jogador.

Gráficos

Um dos pontos mais fortes do jogo é os gráficos. Foi adotado um estilo cartoonizado com uma vasta gama de cores e iluminações diferentes. Não se tem uma paleta pré definida, sendo assim cada clima dita a paleta padrão para o jogo. Em dias mais nublados, nota-se a predominância de cinza, o obscuridade do oceano, a iluminação nos objetos e ferramentas ganham esse ar sombrio, principalmente se estiver em morrow’s peak outpost, onde a areia tem os tons mais obscuros, já em dias de céu limpo, as cores da vegetação, das flores, do mar, saltam aos olhos, principalmente na versão com HDR ativado, percebe-se uma saturação altíssima de cores e altos contrastes, no entardecer com tempo limpo ganha os tons alaranjados. Portanto o clima interfere diretamente na coloração padrão do mundo de Sea of Thieves. Um destaque para as noites de céu aberto, em especial as com presença de aurora boreal, é de encher os olhos.

Em diversos momentos as paisagens e cores do jogo impressionam, e por várias vezes é comum que a party comesse uma contemplação das paisagens que o jogo proporciona em diversas ilhas ou horários. Cabe também a menção, que é unanime, que a água de Sea of Thieves é uma das mais bem feitas dos jogos, “chega a dar sede só de olharsic.

Veredito

Sea of Thieves é um dos maiores jogos de 2018, apesar de ter passado sem o devido hype em premiações e mídias, grande parte devido a expectativas erradas em considerá-lo um RPG ou qualquer outro gênero, assim como estar disponível no dia do seu lançamento no GamePass, o que gera pouco interesse para views de reviews, séries críticas e afins, já que qualquer um pode jogá-lo gastando bem pouco. Porém apesar de todos os percalços criados em torno do jogo, o mesmo tem agradado bastante a comunidade, a cada dia aumenta mais o número de players, e foi um dos top jogos mais vendidos na Steam Summer Sale de 2020 e anunciou recentemente que alcançou o número de 15 milhões de players. Recomendo a todos os donos de Xbox testarem o jogo e a todos que possuem Windows 10 também. Recomendo fortemente, que quem for jogar, entre com pelo menos mais um amigo, fará uma experiência bem diferente de um jogo solo ou com alguma pessoa aleatória. “E digo mais” sic, fazer uma jogatina solo, depende de muita experiência, neste sentido jogadores novatos não conseguirão concluir sequer uma jornada simples.

Por fim registro que é um dos melhores jogos, que joguei de 2018 para cá, e entra inclusive no meu TOP 10 pessoal desta geração, mas entendo que não é pra todos os públicos, principalmente pela dificuldade que o jogo apresenta.

Comente se você já jogou ou joga, ou se pretende jogar. Se quiser adicionar minha GT é El Jango Boy.

Compartilhar

Sobre o Autor

Diego Ranieri

Engenheiro civil, mineiro/rondoniense, gamer no período que sobra, hipnotizado por tecnologia e fã do Xbox. Adora ficar em casa jogando numa boa party, mas também adora beber boas cervejas e conversar sobre tudo, inclusive games.

  • Insider_d0_P@ss@d0

    Esse jogo é melhor que qualquer porcaria que a sony vem servindo seus consimores a muitos anos!

    Otima Review e opnião precisa!